top of page

Os 30 anos estão mais perto do que os 20 anos. E agora?

Daqui há 2 dias eu faço 29 anos. Só de escrever isso meu coração dá uma acelerada. Ontem mesmo eu tinha 19 anos, juro. Como isso aconteceu? Tão rápido. Eu lembro que eu era a "novinha” dos ambientes, já que sempre andei com pessoas mais velhas do que eu. Pois é, sempre admirei a maturidade. E cá estou, me tornando uma mulher cada vez mais madura, mas, confesso, isso me assusta.



Que confusão é essa? Quero amadurecer, crescer, evoluir, mas não envelhecer. Pois é, queremos só o bônus da vida e nunca o ônus. Queremos emagrecer comendo doce. Queremos enriquecer rápido. Queremos viajar o mundo, mas não deixar a família.


Nós somos difíceis de lidar. Não estou nem falando em lidar com outras pessoas. Temos dificuldade de lidar com nós mesmos. Nos questionamos, nos comparamos e nos aprisionamos. Nos colocamos em bolhas incrivelmente finas, que podem estourar a qualquer momento.


Aliás, falando em pensamentos, eu tenho certeza que a Paola de 35 ou 40 anos, vai ler este texto e pensar: “que bobinha, não sabia de nada". É assim que eu olho para a Paola de 19 anos: “que inocente e sem conteúdo". Mas, ao mesmo tempo, olho para ela com orgulho e em seguida penso: “Olha só onde chegamos! Olha quem você era e quem se tornou. Nós somos incríveis.”


Pois é, eu estou sentindo um mix de sentimentos. Feliz, realizada, orgulhosa, preocupada, nostálgica, me sentindo velha, mas não tão velha assim. Já posso culpar o inferno astral? É tão mais gostoso terceirizar a culpa.


De toda maneira, estou grata. Grata demais. Pela minha vida, por respirar e por todo caminho que percorri até aqui.


Aprendi que a vida é surpreendente e sempre vai ser. Aprendi que existe sim um caminho, mas ele não é linear. Podemos planejar, mas não dá para vê-lo muito adiante. Ás vezes, não ter um plano, é um bom plano.


Aos 23 anos, eu acreditava que seria milionária aos 29 anos, que seria a solteira com 10 cachorros, afinal não precisava de ninguém. Eu já teria conquistado um diploma em Harvard e estaria falando italiano fluente.


Mas adivinha?


Eu conquistei mais do que isso. Conquistei o que não imaginava, mas estava escrito para ser meu. Um caminho lindo que não tinha enxergado.


Hoje, aos 29 anos, conheci o amor da minha vida, viajo o mundo com ele, tenho o meu próprio negócio, descobri o meu propósito de alma, sou reconhecida pelo meu trabalho (do qual sou apaixonada) e encontrei pessoas transformadoras na minha jornada. Arrisco sim outros idiomas, até ministrei uma palestra em inglês, visitei meus clientes em Paris e subi em um palco para compartilhar a minha mensagem com 700 pessoas, do qual finalizei agradecendo a minha avó que se despediu da terra nos últimos meses.


É… A vida é mesmo surpreendente. A vida é bela. A vida é mágica. E ela acontece agora. Estamos vivos e esse é o nosso maior presente.


Agradeça por ter 25, 30, 45, 60 ou 90 anos. Agradeça pela sua vida. Ela é só sua e deve ser vivida com intensidade.


Saia de casa, se exponha a oportunidades e reflita daqui alguns anos que as suas conquistas foram mais lindas do que os seus planos, do que aquilo que você achava que te preencheria.


Existe uma longa jornada pela frente, dentro de você.





con amore,

Paola Brescianini



63 visualizações1 comentário

1 Comment


Virgínia Araújo
Virgínia Araújo
Nov 23, 2023

Lindo e inspirador! 💙

Like
bottom of page